NOSSAS REDES

ACRE

Vídeo mostra homens fardados agredindo casal no Acre; assista

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Ouvidor da Segurança estadual fala em tortura e PM diz que vai apurar caso.

A Polícia Militar do Acre abriu procedimento interno para apurar se homens usando fardas pretas como a de sua equipe de elite, o Bope (Batalhão de Operações Especiais), são os responsáveis pela agressão a um casal suspeito de tráfico de drogas na periferia de Rio Branco, em cena de vídeo que circulou nas redes sociais. 

O caso também é acompanhado pelo ouvidor do Sisp (Sistema Integrado de Segurança Pública), Valdecir Nicácio Lima, que pedirá a prisão dos agentes envolvidos no caso. “Eu vou pedir a prisão dos policiais, porque é muito grave”, afirma.

De acordo com ele, o vídeo foi gravado no fim da tarde desta quinta-feira (28) no bairro Montanhês, periferia da capital acriana. Nicácio diz que o processo administrativo já foi aberto na estrutura da Secretaria de Segurança, e que o mesmo foi exigido ao comando da PM.

As imagens foram feitas de um telefone celular a partir de um buraco no muro que separa os quintais de quem grava de onde há as agressões. Nele, é possível ver dois homens fardados imobilizando o casal suspeito, obrigando-os a ficar de joelhos. 

Após serem rendidos, o casal passa a ser agredido com chutes, tapas, socos e um pedaço de madeira, que é depois jogado por um dos policiais. 

Os suspeitos foram levados para a Delegacia Central de Flagrantes e autuados por tráfico de drogas. Na manhã desta sexta (29) eles foram apresentados ao juiz Alesson Braz para a audiência de custódia. 

Ao magistrado, a mulher relatou as agressões, apresentando os hematomas no corpo. As lesões foram confirmadas pelo exame de corpo de delito feito no Instituto Médico Legal. 

O juiz determinou a abertura de inquérito criminal para apurar a suspeita de tortura. O homem teve sua prisão mantida e foi levado para o presídio. Já sua parceira foi liberada, mas é monitorada por tornozeleira eletrônica.

Segundo o ouvidor, a prisão dos policiais envolvidos seria uma forma de assegurar a integridade da mulher. 

“Não há motivo para o que eles fizeram. Seja qual for o motivo ele é ilegal, é crime. As pessoas não estão reagindo, estão imobilizadas. A polícia não tem competência para bater. Eles podiam contê-las, se tivessem reagido, mas não agredir. Aquilo que eles fizeram é tortura”, afirma o ouvidor da Segurança do Acre. 

Em nota, a PM informou que tão logo tomou conhecimento do vídeo abriu procedimentos por sua Corregedoria para apurar onde e quando as cenas teriam ocorrido. A investigação interna, diz o comando, será para apurar se os policiais filmados são de fato membros da corporação. 

 “Temos a missão constitucional de garantir os direitos e preservar a ordem pública. Por essa razão, a instituição reitera que não compactua com desvios de condutas e não incentiva tais atos”, diz a nota. Folha SP.

 

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco