NOSSAS REDES

Sena Madureira

Preocupante: Mais de 400 casos de Dengue já foram registrados em Sena Madureira

Senaonline.net, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Há também a confirmação de um caso de dengue hemorrágica

Um levantamento feito pela Secretaria Municipal de Saúde aponta que até agora já foram notificados 407 casos de Dengue em Sena Madureira. Há também a confirmação de um caso de dengue hemorrágica, considerado como o estágio mais grave da doença cujo paciente foi transferido para Rio Branco.

No Hospital João Câncio Fernandes, segundo o setor de Vigilância Epidemiológica, somente nesses primeiros dias do mês de novembro já foram feitas 87 notificações. “É uma situação bastante grave que estamos enfrentando. Em outubro foram 142 casos suspeitos e, neste mês, já são 87. É muito importante que os moradores redobrem os cuidados, caso contrário algo pior pode acontecer”, comentou Jocilda Melo, da Vigilância Epidemiológica.

O trabalhador autônomo Cleilton de Oliveira, residente no Bairro Jorge Alves Júnior, está internado no Hospital desde domingo por conta da dengue. Segundo ele, é uma situação extremamente ruim. “Comecei sentindo dores de cabeça, febre alta e dores em todo o corpo. É um desconforto muito grande. Graças a Deus estou me recuperando, mas a situação não é fácil. A população precisa abrir os olhos e limpar seus quintais”, ressaltou.

Uma das medidas adotadas pelo município na tentativa de frear a proliferação do mosquito Aedes Aegypty é o chamado Arrastão da Saúde contra a Dengue.

Essa ação já foi desenvolvida no Bairro Bom Sucesso e nesta terça-feira, 13, a equipe se encontra no Bairro Ana Vieira. Enfermeiros, Agentes de Endemias e outros profissionais estão indo de casa em casa orientando os moradores sobre os cuidados que devem ser tomados.

Além disso, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) deflagrou um Mutirão de limpeza que engloba serviço de capina e a coleta do lixo. “Só iremos vencer essa guerra se estivermos todos unidos. A administração precisa muito do apoio da comunidade”, enfatizou o secretário municipal de saúde, Daniel Herculano.

Com relação aos terrenos baldios existentes na cidade, a Vigilância Sanitária já começou a notificar os proprietários. Quem não providenciar a limpeza estará sujeito às penalidades da lei.

Sena Online

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ACRE

MP abre investigação para apurar denúncia de que família indígena vive em lixão no AC: ‘violação de direitos’

Redação do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

MP-AC recebeu uma denúncia e acionou a Assistência Social e a Funai, em Sena Madureira.

capa: Família de indígenas foi flagrada em meio ao lixo em Sena Madureira — Foto: Aline Nascimento/G1.

O Ministério Público do Acre (MP-AC) instaurou um procedimento preparatório para investigar uma denúncia de que uma família indígena foi encontrada vivendo em meio a um lixão em Sena Madureira, interior do Acre.

Ainda segundo a denúncia, os indígenas estariam em busca de comida e recicláveis no lixão da cidade. Diante dos fatos, o MP-AC solicitou providências, no prazo de 15 dias, da Secretaria de Assistência Social e representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai) da cidade.

“Relato acerca de uma família de índios alojada das terras do lixão, em meio a lixo, ossadas de animais e quantidade expressiva de lixo orgânico, o que caracteriza grave violação aos direitos humanos”, destaca no processo.

A Funai informou que a coordenação regional ainda não recebeu nada sobre o caso.

Providências

A secretária de Cidadania e Assistência Social de Sena Madureira, Maria Lourdes Gregório, informou que conversou com o promotor responsável pelo caso por telefone e, na quinta-feira (3), uma equipe foi no lixão verificar a denúncia.

“Imediatamente acionei minha equipe técnica e fui no lixão com o coordenador da Funai. As indígenas têm o costume de sair pela cidade revirando caixa de lixo. É assim há muitos anos, moram nas aldeias, mas vem para cidade e reviram o lixo. Agora, vão para o lixão procurar materiais e outras coisas”, falou.

A secretária disse que também recebeu informações de que havia famílias indígenas, inclusive crianças, morando no local. Porém, ela garantiu que não há famílias morando no lixão.

“Não tem família morando lá. Estão vindo, reviram o lixo e voltam. Já tomamos a providência, sentei com o responsável pelo meio ambiente para resolver essa questão”, confirmou.

Segundo a gestora, ficou acertado com os órgãos a construção de uma cerca com um portão ao redor do lixão para impedir a entrada dos indígenas.

“Quando o caminhão passar, tranca e tem um vigia também. Isso não é constante, é só quando conseguem entrar e reviram o lixo. Tem que vigiar para não deixar elas entrarem com crianças no local”, explicou. G1Ac. 

Continue lendo

ACRE

No AC, pai é investigado por oferecer filha de 15 anos para sexo com vizinho em troca de bebida alcoólica

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Polícia Civil e conselheiros foram até a comunidade que fica em Sena Madureira, interior do Acre, para ouvir parentes e as filhas do suspeito.

CAPA: Polícia Civil e conselheiros estiveram na comunidade na sexta (28) para ouvir parentes e as filhas do suspeito — Foto: Ascom/Polícia Civil do Acre.

Um morador do Ramal dos Terçados, zona rural de Sena Madureira (AC), é investigado pela Polícia Civil por oferecer a filha de 15 anos para ter relações sexuais com o vizinho em troca de bebida alcoólica. O caso foi denunciado para o Conselho Tutelar do município, que acionou a polícia.

A denúncia chegou para o conselho há mais de um mês. Na sexta-feira (28), a polícia esteve na comunidade para ouvir a família e procurar pelo vizinho que teria feito a negociação.

Ao G1, o conselheiro Francisco Jozicle Santiago explicou que o suspeito é pai de três filhos, sendo duas meninas, de 13 e 15 anos, e um menino. As meninas foram levadas para o hospital de Sena Madureira para fazer exames.

“A menina de 15 anos já teve relações sexuais, mas não se sabe se foi com esse cara, está sob investigação”, acrescentou.

Segundo o conselheiro, a denúncia relatou que o pai estava embriagado e ofereceu a filha para o vizinho em troca de uma garrafa de cachaça.

“Segundo a mãe das adolescentes, quando ele bebe tem essas atitudes. A informação que chegou para nós também era de que o cara levava as meninas para caçar, mas, quando começamos averiguar, isso foi negado”, destacou.

Santiago disse que as adolescentes negaram o crime, mas parentes confirmaram que ouviram a suposta negociação entre os suspeitos. “A mãe falou que ele tinha oferecido mesmo, mas que o vizinho não levou. Conversamos com ele [pai], mas estava bêbado. A informação procede porque a mãe falou”, afirmou.

Investigações

O delegado responsável pelo caso, Marcos Frank, disse que já ouviu as duas adolescentes. Na sexta, a polícia intimou o pai, a mãe e outros parentes das vítimas.

O vizinho envolvido no caso não foi achado pela polícia. “Apuramos a negociação, mas se o ato se consumou ainda vamos averiguar. Foi instaurada uma portaria de investigação que deu origem ao inquérito. As meninas disseram que souberam da negociação”, pontuou.

Caso a denúncia seja confirmada, a polícia disse que o pai pode responder pelo crime de favorecimento da prostituição ou exploração sexual de criança e adolescente. “Temos que analisar outros crimes contra a dignidade feminina. Semana que vem vou ouvir o pai, a mãe, a cunhada e o irmão das meninas que ouviu também [a negociação]”, concluiu.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco