NOSSAS REDES

ACRE

Prefeito afastado do Quinari, André Maia é responsabilizado pelo MP por desvio de trator

Redação do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) propôs ação de improbidade administrativa contra o prefeito afastado do Município de Senador Guiomard, André Luis Tavares da Cruz Maia, o leiloeiro oficial Valdyr Alves de Sá e os servidores Paulo César Miranda Gomes, Carlos Alberto Marcelino da Costa, Rodolfo Gonçalves dos Santos, Manoel Messias Oliveira da Silva, por desvio, em proveito próprio ou alheio, de um trator da Prefeitura Municipal.

O Ministério Público apurou que, em um leilão público, realizado em novembro de 2017 com o objetivo de alienar bens móveis inservíveis e sucatas de veículos da Prefeitura Municipal, o então diretor de Trânsito, Paulo César Miranda Gomes, e o leiloeiro oficial, Valdyr Alves de Sá, agiram em conluio para desviar um trator, que sequer constava da relação de bens a serem leiloados, incluindo-o no transporte dos bens que foram arrematados.

Segundo a peça processual, com a omissão dolosa dos membros da Comissão de Vistoria e Avaliação (Carlos Alberto Marcelino da Costa, Rodolfo Gonçalves dos Santos e Manoel Messias Oliveira da Silva), a dupla tentou mascarar o desvio incluindo o trator na lista por meio de retificação em edital, com data retroativa, e falsificação da nota de venda em leilão, fato que foi contraditado pelo arrematante de um lote. Até agora não há notícia do paradeiro do veículo.

O prefeito afastado foi responsabilizado por deixar de praticar atos de ofício após o recebimento do relatório de uma sindicância, deixando de penalizar os agentes públicos envolvidos no ato ilícito e de promover as medidas para ressarcimento ao erário.

A ação foi proposta pela promotora de Justiça Eliane Misae Kinoshita ao Juízo da Vara Cível da Comarca de Senador Guiomard.

Com base na Lei nº 8.429/92, ela pede a condenação dos requeridos pela prática de improbidade administrativa por ofensa aos princípios da administração pública, prejuízo ao erário e enriquecimento ilícito, com aplicação de sanções como ressarcimento integral do dano causado, perda da função pública, suspensão de direitos políticos, pagamento de multa civil e proibição de contratar com o poder público.

Com informações da assessoria do MPAC

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco