NOSSAS REDES

ACRE

Policial do Bope estava em alta velocidade, diz marido de mulher morta em acidente no AC

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Internado no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), José da Silva, de 43 anos, aguarda para fazer uma cirurgia no fêmur direito após acidente de trânsito envolvendo um policial do Batalhão de Operações Especiais (Bope), no último sábado (18), na Estrada Dias Martins, em Rio Branco.

Silva diz que o motorista dirigia em alta velocidade e só lembra de ter ouvido o barulho da frenagem e sentir a batida logo depois.

A mulher do condutor, Silvinha Pereira da Silva, de 38 anos, que estava com ele na motocicleta morreu na tarde de domingo (19), no (Huerb), onde estava internada desde o sábado (18), quando ocorreu o acidente.

“Não tenho muito o que explicar, porque a única coisa que lembro é que escutei cantada de pneu atrás da gente. Quando olhei o retrovisor, a única coisa que vi foi um vulto muito rápido e o impacto. Daí já apaguei e não lembro mais de nada. Quando fui acordar, acho que já tinha dado uns 20 minutos depois”, contou.

No início da semana, a Polícia Militar informou que Alan Martins teria perdido o controle do carro e, por isso, acabou atingindo o casal. Por meio de nota, a corporação disse que não foi feito o teste de bafômetro em nenhum dos três envolvidos por causa das condições em que se encontravam. A nota dizia ainda que a PM está dando todo o suporte para as vítimas.

Sobre o acidente, Silva conta conta ainda que foi buscar a esposa quando ela tinha saído do trabalho e ao sair na Dias Martins, não viu carro nenhum e quando dirigiu por cerca de 30 metros foi surpreendido com a batida.

“Parei e não vi carro próximo, nem no retorno, então segui viagem e foi uma coisa tão rápida porque só deu tempo de mudar de faixa e ouvi o pneu atrás da gente e senti a porrada. O que me recordo é só isso”, contou.

Cirurgia

O quadro de saúde do homem é estável. Ainda precisa passar por um processo anti-inflamatório das escoriações que teve e aguarda na fila pela cirurgia no fêmur direito.

“Fizeram os procedimentos e a gente está em uma fila de espera aqui, porque é por vez. Não tenho certeza se vai sair rápido, se não vai. Além disso, eles falaram que tenho que passar por um processo anti-inflamatório, por causa das escoriações no corpo”, contou.

Habilitação

Sobre conduzir a motocicleta sem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), Silva diz que possui o documento e afirma que, por se tratar de uma moto de 50 cilindradas [que não passa de 50km/h], não é obrigatório para dirigir.

“Não tinha mesmo para ela porque não é exigida. Porque existe em tramitação se vão exigir ou não, em alguns lugares pedem e outros não. Ainda tem uma parte burocrática para que se tenha uma lei que determine que as 50 cilindradas sejam habilitadas. Sou habilitado na categoria B”, disse.

Ao G1 a assessoria de comunicação do Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran-AC) disse que é exigida a habilitação de categoria ‘A’ ou ‘ACC’ e, de acordo com a resolução 542 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), é exigida a habilitação.

“Fica concedido prazo até 29 de fevereiro de 2016 para os condutores de ciclomotores obterem o documento de habilitação correspondente ao veículo, podendo neste caso ser a Autorização para Conduzir Ciclomotores – ACC ou a Carteira Nacional de Habilitação na categoria ‘A'”, diz a resolução.

Afastamento

Na segunda-feira (20) após o acidente a Polícia Militar informou que Martins não seria afastado do cargo, por não ter nada comprovado se ele estaria dirigindo sob efeito de álcool. No mesmo dia, governo do Acre voltou atrás e determinou que ele seja afastado das funções.

O caso também vai ser investigado pelo Ministério Público (MP-AC). O decreto com a instauração do inquérito foi publicado no diário do órgão nesta quarta-feira (22).

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco