NOSSAS REDES

ACRE

Os passageiros que retornam do exterior enfrentam longas filas lotadas nos aeroportos

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Muitos interromperam suas viagens quando os EUA impuseram novas restrições de viagens da Europa continental, temendo que seus vôos de retorno pudessem ser cancelados.

Foto de capa: As pessoas esperam em longas filas para passar pela alfândega no aeroporto internacional de Dallas / Fort Worth no sábado. FOTO: AUSTIN BOSCHEN / ASSOCIATED PRESS.

CHICAGO, IL.

Os viajantes que retornam para os EUA do exterior na noite de sábado enfrentaram longas horas de espera em condições de aglomeração em alguns aeroportos, enquanto as autoridades tomavam medidas extras para impedir a propagação do novo coronavírus.

Muitos interromperam suas viagens quando os EUA colocaram novas restrições de viagem na Europa continental – que entraram em vigor à meia-noite de sexta-feira – temendo que seus vôos de retorno pudessem ser cancelados.

Alguns passageiros que chegaram ao Aeroporto Internacional O’Hare de Chicago na noite de sábado descreveram longas e quentes esperas para passar pela alfândega, onde alguns funcionários do aeroporto e da segurança distribuíram lanches, incluindo batatas fritas e carne seca.

Lonnie Corpus estava voltando da Islândia com amigos – professores aposentados de Wisconsin. O vôo deles aterrissou às 18h40. Eles chegaram às 23h. O interrogatório em si e uma rápida verificação da temperatura não demoraram muito depois que chegaram à frente da fila que serpenteava nas esquinas.

“Deve haver uma maneira melhor de fazer isso”, disse ela, descrevendo a linha como um potencial ponto quente para o Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus. “A reivindicação de bagagem parecia a Ellis Island com as malas empilhadas.”

O O’Hare Airport, em um tweet, disse que o processo aduaneiro estava demorando “mais que o normal” dentro das instalações dos Serviços de Inspeção Federal por causa da triagem adicional, incluindo verificação de temperatura e perguntas específicas sobre o histórico de viagens dos passageiros.

O’Hare é um dos 13 aeroportos autorizados pelo Departamento de Segurança Interna para rastrear passageiros que retornam de países restritos. O aeroporto disse que “encorajou fortemente nossos parceiros federais” a aumentar o pessoal para atender à demanda. Um porta-voz do aeroporto não fez comentários adicionais.

O governador de Illinois, JB Pritzker, em um tweet na noite de sábado , disse que as multidões e filas em O’Hare eram “inaceitáveis”. A prefeita de Chicago Lori Lightfoot disse em um tweet que a multidão que esperava nas proximidades de O’Hare representava um risco à saúde .

A Alfândega e Proteção de Fronteiras dos EUA disse em comunicado na manhã de domingo que a agência estava ciente do aumento do tempo de espera em alguns aeroportos e estava trabalhando para processar os passageiros da maneira mais segura e eficiente possível.

“Em vários aeroportos, estamos vendo uma melhoria imediata”, disse um representante. “Agradecemos a paciência do público que viaja ao lidar com essa situação sem precedentes”.

Os EUA no fim de semana expandiram suas restrições para incluir vôos do Reino Unido e Irlanda, a partir de segunda-feira. Alguns que passaram pela alfândega em Dublin no início do sábado descreveram longas horas de espera e grandes multidões por lá.

Nas mídias sociais, os viajantes publicaram fotos de cenas semelhantes no Aeroporto Internacional de Dallas / Fort Worth.

Pedimos sua paciência, pois os agentes do CBP / CDC estão realizando uma triagem aprimorada para os passageiros, o que pode causar atrasos adicionais. Essas medidas são importantes para a saúde e a segurança de todos”, afirmou o aeroporto em um tweet. Por https://www.wsj.com/. 

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco