NOSSAS REDES

CURIOSIDADES

Napoleão passou uma noite na Grande Pirâmide do Egito (e saiu de lá aterrorizado)

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Napoleão Bonaparte quis passar uma noite na Grande Pirâmide do Egito, imitando grandes líderes da história como Alexandre, o Grande, e Júlio César. No entanto, a experiência não foi boa: logo pela manhã, o líder militar francês saiu pálido e aterrorizado do interior da pirâmide.

Foto de capa: Napoleão Bonaparte, óleo de autor desconhecido (1810)

O líder, que tinha saído vitorioso na Itália, desembarcou no rio Nilo durante o verão de 1798, com o objetivo de libertar o Egito da liderança dos turcos. Chegou acompanhado com mais de 30 mil soldados franceses e um vasto grupo de pesquisadores de diferentes áreas – matemáticos, físicos, químicos, biólogos, engenheiros, arqueólogos e historiadores.

Mais de uma centena de cientistas acompanharam o ditador francês com o objetivo de estudar detalhadamente o Egito, desde suas imponentes pirâmides até os seus deuses milenários, revela o portal ABC Historia.

A comitiva de pesquisa reunia as mais brilhantes mentes da época, entre os quais o matemático Gaspard Monge, fundador da Escola Politécnica, o físico Étienne-Louis Malus e o químico Claude Louis Berthollet, inventor do alvejante. Todos responderam ao chamado do jovem general, com apenas 28 anos na época, sem sequer saber para onde iriam.

“Não posso dizer para onde vamos, mas é um lugar para conhecer e conquistar glória”, teria dito Napoleão à equipe de cientistas.

A viagem ao Egito também serviu como um retiro espiritual para Napoleão, país que tinha perturbado e marcado a imaginação de grandes personagens da história.

O general francês quis seguir os passos dos grandes líderes e decidiu, no dia 14 de abril de 1799, passar a noite no interior da Pirâmide de Quéops, na Câmara do Rei. Esta, que é a sala mais nobre de toda a pirâmide, era de difícil acesso na época, com passagens estreitas, que não chegavam a um metro e meio de altura. Além disso, não havia qualquer iluminação a não ser as tochas.

Nomes lendários como Alexandre, o Grande e o general romano Júlio César, também terão dormido na Câmara do Rei da Pirâmide de Quéops.

No entanto, a estadia do general da Córsega não foi muito gloriosa. Napoleão passou cerca de sete horas na Câmara do Rei, uma sala retangular com cerca de 10 metros de comprimento por 5 de largura. É composta por lajes de granito e paredes lisas, sem qualquer tipo de decoração.

No interior há apenas um sarcófago de granito vazio, que está no interior da câmara desde a construção da pirâmide. Napoleão passou a noite cercado de morcegos, ratos e escorpiões.

Logo pela manhã, o general teria saído da pirâmide com uma cara pálida e assustada. Questionado pelos seus homens sobre o que tinha visto no interior da pirâmide, Napoleão respondeu de forma enigmática: “Mesmo que dissesse, vocês nunca acreditariam“.

É impossível saber ao certo o que o general sentiu ou viu no interior da câmara. Ou até mesmo se o episódio chegou a acontecer, visto que a experiência poderia ter sido induzida pela mística do local, as temperaturas extremamente altas e o eco da sala. Porém, vários historiadores acreditam que Napoleão não foi mais o mesmo após aquela noite.

A Pirâmide de Quéops – a única construção que perdura das sete maravilhas do mundo antigo – ainda revela novos mistérios. Recentemente, foi descoberta uma câmara secreta e uma análise científica confirmou que Napoleão sentiu na pele todo o misticismo do monumento. Ciberia // ZAP

Advertisement
Comentários

Comente aqui

CURIOSIDADES

O Bitfoliex adquire uma nova renovação de imagem para suportar sua visão 2020

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O Bitfoliex, uma solução criptoativa acaba de revelar sua plataforma intuitiva renovada no 11 de junho 2020. A plataforma tem sido popular entre os entusiastas da criptografia porque cumpre todos os requisitos básicos do complexo mercado de criptografia. A plataforma renovada tem introduzido um conjunto de novas funcionalidades focadas na segurança e se destaca nas áreas de privacidade; Segurança; Controle; Criptografia; Segurança e velocidade do usuário.

Dentro do ecossistema Bitfoliex você encontra-se uma carteira criptográfica integral, um motor de correspondência de pedidos e múltiplas funções para facilitar diferentes criptomoedas. A plataforma Bitfoliex leva a experiência da carteira criptográfica a um nível totalmente novo ao integrar criptografia de primeira classe em uma única carteira abrangente. A partir de hoje, suporta Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH), Bitcoin Cash (BCH), Stellar (XLM) e Traxalt Tokens (TXT).

Com sua profunda equipe técnica, suporte global de diferentes comunidades, o Bitfoliex continua atraindo o interesse da indústria. Em maio de 2020, a equipe Bitfoliex propôs um roteiro de soluções de criptografia tudo em um que integra todas as necessidades diárias dos usuários de criptografia; o principal objetivo deste plano é unir toda a indústria blockchain, conectando todos os principais atores da indústria e pequenos fornecedores. Enquanto isso, o Bitfoliex tem sido muito eficaz no desenvolvimento de seu mercado na Ásia-Pacífico. A equipe Bitfoliex tem uma visão de uma indústria criptográfica aberta, ou seja, igual para todos; onde os líderes da indústria cooperam livremente uns com os outros de forma ecológica para que as indústrias líderes mundiais sejam integradas a partir de recursos de criptografia como um todo.

Um súbito boom no meio do confinamento

Como esperado pelos analistas financeiros, o atual período de fechamento, que foi imposto em meados de maio-abril, proporcionou uma estrada para o crescimento da indústria de criptografia. O Bitcoin ganhou 106% nos últimos 3 meses e com o bitcoin, muitas plataformas de soluções criptográficas relataram um aumento no número de base de clientes. De acordo com o último relatório apresentado pela equipe do Bitfoliex, a plataforma tem agora mais de 1,3 milhões de contas e diz-se que os números estão crescendo a cada dia.

A carteira Bitfoliex existe há quase dois anos e 2020 ter provado ser o ano mais produtivo para o projeto. Está fazendo o melhor para ser amigável e implementar soluções de alto nível para fazer a carteira se destacar em 2020. A proteção de ponta a ponta oferece aos usuários maior segurança e controle sobre suas moedas digitais, acima de qualquer outra solução de carteira disponível no mercado.

Continue lendo

ACRE

MAIS VELHA DO MUNDO: indígena de Feijó tem 129 anos, 12 a mais que a mulher mais velha do mundo

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Certidão de nascimento de Maria Lucimar afirma que ela nasceu em 3 de setembro de 1890, no seringal Porto Rubin, em Feijó. Ela vive em aldeia e fala pouco o português, segundo Funai.

Capa: Maria é lúcida e recebe atendimento médico em casa — Foto: Francisco Claudino Junior/Arquivo pessoal.

Os documentos da indígena Maria Lucimar Pereira Kaxinawá apontam que ela tem 129 anos. A história dela foi divulgada nesta semana nas redes sociais porque ela tem 12 anos a mais que a japonesa Kane Tanaka, com 117, considerada a pessoa mais velha do mundo pelo Guinness Book.

Ela mora na Aldeia Boca do Grota, no seringal Curralinho, no interior do Acre. A certidão de nascimento de Maria Lucimar registra o nascimento dela em 3 de setembro de 1890, no seringal Porto Rubin, a 3 horas de viagem do município, em Feijó, município no qual ela ainda vive e é cuidada por um filho, que é o pajé da aldeia, conforme informações do representante da Fundação Nacional do Índio (Funai) no município, Carlos Brandão.

O G1 tentou falar com os indígenas, mas, por conta da localização, não conseguiu contato até a publicação desta reportagem. Mas, o representante da Funai, que acompanha a indígena, falou um pouco sobre ela e conta ainda que ela não fala muito o português.

“Ela só come comida natural, frango assado, macaxeira cozida, peixe muquinhado [assado na palha da bananeira]. Ela ainda coloca linha no buraco da agulha. Ainda anda, conversa na língua indígena e fala um pouco português, algumas palavras”, contou Brandão.

Além disso, ele garante que Maria Lucimar é lúcida e ainda conta histórias relacionadas ao sofrimento pelo qual passou na juventude e relembra fatos como a chegada dos cearenses e a época em que a borracha ainda era o carro chefe da economia no Acre.

“Ele vive lá e não sai, vai sobrevivendo até quando Deus permitir. Para viver tanto, é o alimento natural, medicina natural o segredo”, acrescentou.

Certidão da indígena mostra que ela nasceu em 1890   — Foto: Pedro Campos, Arquivo pessoal

Certidão da indígena mostra que ela nasceu em 1890 — Foto: Pedro Campos, Arquivo pessoal

Acompanhamento

A idosa indígena é acompanha pelo pólo de saúde indígena do município de Feijó e recebe visitas na aldeia.

“Realizamos visita domiciliar na casa dela porque já é de idade, então ela não vem até a cidade. A equipe vai até a casa dela e faz a consulta médica”, explicou a enfermeira do polo base indígena de Feijó, Cássia Roberta

Cássia diz que as reclamações da idosa são relativas a algumas dores no corpo e que não se trata de caso grave de doença.

“O que ela mais se queixa são de dores reumáticas e nas articulações, são queixas normais de idosos e só. Mas, a visão dela é muito boa, apenas a audição dela que precisa que a gente fale mais alto para ela poder ouvir porque está um pouco comprometida”, complementou.

A enfermeira reforçou que ela é lúcida e compreende o que falam com ela. “A idade dela é mesmo essa. Ela é considerada a indígena mais velha”, conclui.

O G1 entrou em contato com o Guinness Book, o livro dos recordes, para saber se pretende avaliar o caso e quais seriam os procedimentos, mas não obteve retorno até esta publicação.

Outros casos

Em 2016, o G1 contou a história do ex-seringueiro José Coelho de Souza, que teria 131, após o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Acre divulgar o caso. Segundo a certidão de nascimento, ele nasceu em 10 de março de 1884, na cidade de Meruoca (CE). Ele morava na comunidade Estirão do Alcântara, em Sena Madureira, no interior do estado.

O caso ganhou repercussão porque Souza em 2016, teve que provar ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que ainda estava vivo para continuar recebendo a aposentadoria.

ex-seringueiro morreu, em 2017 sem ter o nome reconhecido pelo livro dos recordes como o homem mais velho do mundo.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco