NOSSAS REDES

BR 364

Manifestantes não aceitam acordo e BR-364 segue fechada em Extrema

Redação do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

As negociações realizadas por uma comissão de autoridades em Extrema não avançaram e a BR-364 segue fechada, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os manifestantes reivindicam transporte escolar na região, recuperação de ramais e linhas, além de segurança. A rodovia foi interditada nas primeiras horas da manhã dessa terça-feira 8.

Uma comissão de autoridades enviada pela Prefeitura, formada pelo secretário da Educação, Márcio Félix e vereadores não conseguiu convencer os manifestantes sobre o reinício do sistema de transporte a partir da próxima segunda-feira (15). A PRF também tentou convencer os líderes do protesto, mas não houve avanço.

Pela proposta da Prefeitura o serviço seria normalizado a partir da segunda-feira, uma vez que somente na última sexta-feira foi encerrada a licitação emergencial.

Prefeitura envia comissão de educação à Ponta do Abunã

Por determinação do prefeito Hildon Chaves, uma comissão liderada pelo secretário de educação do Muncicípio, Márcio Félix, seguiu para a região da Ponta do Abunã, na manhã desta terça-feira (9/4), para resolver questões relacionadas ao transporte escolar rural.

A comissão deve ser reunir com moradores dos distritos de Vista Alegre, Extrema e Nova Califórnia, para falar das providências que estão sendo adotadas pelo Município. Além de firmar contrato com a nova empresa que fará o transporte dos estudantes, a Prefeitura realizará mutirões para melhorar a trafegabilidade nas estradas em todas as áreas rurais, com foco nas regiões mais afetadas pelas chuvas.

Durante coletiva de imprensa, nesta última segunda-feira (9/4), Márcio Félix falou do esforço e das ações realizadas pela gestão do prefeito Hildon Chaves para resolver a questão do transporte escolar rural e garantir o ano letivo dos alunos.

“Desde o dia 1º de abril, estamos com 58 ônibus rodando, atendendo Rio Pardo, Jaci-Paraná e União Bandeirantes. Precisamos de 143 ônibus. Assinamos contrato na sexta-feira (5/4) com a empresa que providenciará os ônibus que estão faltando. O procedimento é emergencial e tem 15 dias para iniciar o serviço”, destacou.

Sobre o transporte escolar fluvial, também foi feito um contrato emergencial. Uma empresa do Ceará fez a melhor proposta e o processo encontra-se na Procuradoria Geral do Município (PGM) para elaboração do contrato.

O processo licitatório definitivo para o transporte escolar rural, tanto terrestre quanto fluvial, está no Tribunal de Contas, que solicitou algumas adequações, o que já está sendo providenciado, com objetivo de licitar o mais rápido possível.

Informações Rondoniagora

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Homem de 60 anos fica preso às ferragens de caminhão durante acidente em rodovia do Acre

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Acidente ocorreu nesta terça-feira (14), no km 14 da BR-364, em Rio Branco.

CAPA: Bombeiros levaram mais de uma hora para conseguir retirar o caminhoneiro das ferragens — Foto: Ascom/Corpo de Bombeiros do Acre.

Um homem e 60 anos foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros do Acre após ficar preso às ferragens de um caminhão durante um acidente no km 14 da BR-364, em Rio Branco. O veículo da vítima teria batido em outro caminhão durante ultrapassagem na rodovia, nesta terça-feira (14).

Uma equipe de bombeiros foi até o local socorrer as vítimas e demorou mais de uma hora para conseguir retirar o motorista das ferragens. Os ocupantes do outro veículo também se machucaram e foram levados por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

A Polícia Rodoviária Federal no Acre (PRF-AC) informou que uma equipe foi enviada para atender a ocorrência.

O major Cláudio Falcão, da assessoria de comunicação do Corpo de Bombeiros do Acre, disse que a colisão ocorreu quando um dos caminhões fez uma ultrapassagem na rodovia.

“Os dois saíram da pista e foram para o acostamento, tendo forte colisão no barranco, e uma das vítimas, um homem de 60 anos, ficou preso às ferragens e com a situação bem complicada. Mas estava estável, foi estabilizado pelos bombeiros, já tinha uma ambulância do Samu no aguardo para transportar ele”, afirmou.

Caminhões teriam colidiram durante uma ultrapassagem na BR-364 — Foto: Ascom/Corpo de Bombeiros do Acre

Caminhões teriam colidiram durante uma ultrapassagem na BR-364 — Foto: Ascom/Corpo de Bombeiros do Acre.

Duas pessoas ocupavam o outro caminhão, mas não precisaram da ajuda dos bombeiros para sair do veículo. As vítimas foram levadas para o Pronto-Socorro de Rio Branco.

“Ficou preso às ferragens com aço muito forte, foi preciso usar várias ferramentas de salvamento, resgate e encarceramento em veículos com todos os cuidados. Foi retirado e entregue ao Samu para transporte até o hospital”, concluiu.

Continue lendo

ACRE

É boa a trafegabilidade na BR-364 de Cruzeiro do Sul a Rio Branco

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O serviço de manutenção e restauração da BR-364 realizado pelo DNIT, de Cruzeiro do Sul a Rio Branco, acabou com todos os pontos críticos da rodovia.

É boa a trafegabilidade de veículos ao longo dos mais de 600 kms que separam as duas maiores cidades acreanas.

O melhor trecho é de Cruzeiro do Sul à Tarauacá, onde o serviço está pronto. Nos demais , há esquipes atuando no pavimento da estrada, trechos ainda com poeira, outros com barro já compactado e em outros, o asfalto é reposto.

O tráfego é organizado pelas equipes para evitar o perigo onde as máquinas atuam.

Do trabalho programado pelo DNIT para este ano, 30 km já estão concluídos e 50 km estão em andamento.

O investimento na BR-364 é de R$ 53 milhões, oriundos de Emenda da bancada federal acreana

O taxista Narciso Souza, cita que as boas condições da Br 364, possibilita a diminuição no tempo da viagem de Cruzeiro a Rio Branco em até 4 horas. “Agora saio de Cruzeiro às 7 da manhã e chego em Rio Branco às 15h da tarde. São 8 horas de viagem e se eu correr diminuí ainda mais. Em maio, eu levava quase 12 horas. A estrada está boa”, disse o taxista.

Mas o perigo ainda existe em alguns pontos. Nas laterias da rodovia, mesmo em alguns onde o trabalho de manutenção já foi feito, há desmoronamentos. Alguns em ribanceiras.

Quanto as erosões nas laterias da rodovia, o superintendente do DNIT no Acre, Carlos Moraes, explica que está sendo feita uma contratação específica elaborada por especialista. “Porque tem erosão que já foi recuperada várias vezes pelo DERACRE e por nós pelos meios convencionais e caíram novamente. Por isso vamos fazer um serviço mais adequado e técnico”, cita.

O exército, por meio do Batalhão de Engenharia e Construção é responsável pelo trecho do Riozinho do Andirá à Sena Madureira , onde a equipe trabalha agora.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco