NOSSAS REDES

ACRE

Maior presídio do Acre tem 20 casos suspeitos de Covid-19 e separa pavilhão para quarenta

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Grupo está isolado no pavilhão Q do presídio Francisco D’ Oliveira Conde, em Rio Branco. Três presos testaram positivo para a doença.

O Complexo Penitenciário Francisco d’Oliveira Conde, em Rio Branco, tem 20 casos suspeitos de Covid-19, segundo boletim divulgado pelo Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC).

Os detentos estão isolados no pavilhão Q, destinado justamente para casos de Covid-19 entre os detentos. Neste mesmo pavilhão também estão os presos que entram no sistema prisional e precisam ficar em quarentena pelo período de 14 dias.

O Iapen informou que nesta sexta-feira (1) o local, que tem capacidade para 250 presos, está com cerca de 100 detentos. Todos são acompanhados pelas equipes de Saúde, tanto da Secretaria Estadual como do sistema penitenciário.

Do total de 20 casos considerados suspeitos de Covid-19, três detentos tiveram diagnóstico positivo para a doença e outros seis foram descartados. Com isso, 11 presos aguardam resultado dos exames e seguem em isolamento, além dos casos confirmados.

Em todo o estado do Acre, 347 presos fazem parte do grupo de risco, de acordo com dados do Iapen. Sendo que somente no maior presídio do estado, em Rio Branco, são 134.

Covid-19 em servidores do sistema

Com relação aos servidores do sistema prisional, a situação é ainda mais preocupante. Até último boletim de quinta-feira (30), o Iapen tinha 83 casos considerados suspeitos para Covid-19. Desses, 27 foram confirmados, sendo 24 policiais penais e 3 servidores administrativos.

Outros 13 casos permanecem em análise. O órgão informou que oito servidores tiveram alta e são considerados curados.

Ao todo são 145 servidores afastados do sistema prisional. Sendo 105 inseridos no grupo de risco, os 27 casos confirmados e os 13 em análise. Desses, 29 são servidores administrativos e 116 são policiais penais.

Comitê de combate à Covid-19

Junto ao plano de contingência, publicado no dia 15 de abril pelo Iapen-AC, foi criado o Comitê Penitenciário de Combate à Covid-19. O objetivo do órgão e evitar o avanço do novo coronavírus nas unidades penitenciárias do estado.

O Ministério Público do estado (MP-AC) chegou a recomendar algumas ações que deveriam ser tomadas pelo Iapen que já tinha adotado medidas, conforme anunciou na época.

Em uma outra recomendação, do dia 28 de abril, o órgão orientou que seja adotado o sistema de triagem dentro das unidades prisionais do estado, com aferição de temperatura e resposta de questionário para apontar possíveis casos suspeitos da doença.

As visitas nas unidades prisionais estão suspensas desde o dia 17 de março. Vale destacar também que presas da unidade feminina de Rio Branco estão confeccionando máscaras para o uso dentro das unidades do estado.

Medidas adotadas

  • Manter os presos em suspeita da doença em alojamento separado até atendimento;
  • Realizar a limpeza e desinfecção das superfícies das celas, alojamentos e de outros ambientes utilizados por servidores e presos;
  • Suspensão de atendimento de advogados suspensas, a menos que seja comprovada a necessidade de urgência ou que envolvam prazos processuais;
  • Suspensão temporária de transferência interestadual de presos.

Além disso, um pavilhão foi separado para receber os presos que derem entrada na unidade de Rio Branco durante o período de emergência, onde serão submetidos a isolamento e triagem. A mesma regra vale para o interior do estado.

As aulas estão suspensas dentro dos presídios e os trabalhos externos também, exceto as que são desenvolvidas na Unidade Penitenciária (UP-4), onde são feitos o trabalho de roçagem e manejo de hortaliças.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco