NOSSAS REDES

ACRE

Hospital de Campanha do Juruá é inaugurado após mais de 24 dias de atraso, em Cruzeiro do Sul

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Unidade foi inaugurada nesta sexta (10), em Cruzeiro do Sul. Hospital vai disponibilizar mais 10 leitos de UTI para pacientes com Covid-19.

CAPA: Hospital Regional do Juruá foi inaugurado nesta sexta (10) em Cruzeiro do Sul — Foto: Glédisson Albano/Rede Amazônica Acre. 

Avaliado em R$ 4,1 milhões, o Hospital Regional do Juruá, em Cruzeiro do Sul, interior do Acre, foi inaugurado nesta sexta-feira (10) após mais de 24 dias de atraso. A entrega da unidade estava marcada para o dia 16 de junho, mas por falta de gases foi adiada para o dia 29 do mesmo mês.

Porém, a unidade não tinha todos os equipamentos da UTI e nem a usina de gases para começar a atender e a inauguração foi adiada por uma segunda vez. Então, a data mudou para esta sexta.

A ordem de serviço foi assinada pelo governador Gladson Cameli no dia 8 de maio. A unidade tem 10 leitos de UTI, 20 leitos semi-intensivos e 60 leitos normais. O hospital vai atender os pacientes em tratamento contra a Covid-19 das cidades de Rodrigues Alves, Mâncio Lima, Porto Walter, Marechal Thaumaturgo, além de Cruzeiro do Sul.

A cidade de Cruzeiro do Sul é a segunda com mais pessoas contaminadas no estado acreano. O boletim da Secretaria de Saúde (Sesacre), desta sexta, mostrou que o município tem 2.269 pessoas infectadas. O número de mortos pela Covid-19 na cidade é de 39.

Mais de 2 mil pessoas já receberam alta médica e são consideradas curadas da doença.

Hospital de campanha do Juruá vai disponibilizar mais 10 leitos de UTIs para pacientes — Foto: Glédisson Albano/Rede Amazônica Acre

Hospital de campanha do Juruá vai disponibilizar mais 10 leitos de UTIs para pacientes — Foto: Glédisson Albano/Rede Amazônica Acre.

O governador Gladson Cameli discursou no local sem o uso da máscara. Ele afirmou que a unidade vai continuar a atender a população do Juruá após a pandemia do novo coronavírus.

“Mesmo depois do coronavírus vai continuar a atender as pessoas. Em todo estado não vão achar um hospital tão completo. Tem o mesmo padrão do da capital, são mais 60 enfermarias, 20 semi-intensivos e mais 10 UTIs”, acrescentou.

O gestor falou também sobre a doação da prefeitura de oito respiradores para atender os pacientes em tratamento contra a doença. “Vão ser instalados no hospital de campanha e serão enviados para as unidades de outros municípios”, destacou.

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, reafirmou que a inauguração da unidade de saúde permite a reabertura dos setores comerciais na cidade. Ele afirmou também que a região vive um sonho que deve trazer mais estruturas para salvar e cuidar das vidas.

“Essa obra foi o ponto chave para decidir flexibilizar as atividades da cidade porque o povo não estava aguentando mais. Eu dizia que na hora certa, com as condições que temos aqui, vamos retornar com as atividades. Vamos retomar a partir de amanhã [sábado, 11] várias áreas, principalmente aqueles que acham que a igrejas não são essenciais, mas são os maiores hospitais que Deus deixou na terra”, defendeu.

Fase laranja

Apesar de Cruzeiro do Sul ter esse número de casos registrados e ser a cidade mais populosa da região, com pelo menos 88,3 mil habitantes, na primeira classificação pacto Acre Sem Covid, as regionais do Juruá e Tarauacá/Envira foram reclassificadas para a bandeira laranja, que quer dizer alerta.

Os dados foram divulgados na segunda (6), quando o governo do Acre fez uma coletiva para falar dos primeiros resultados da avaliação das regionais de saúde após a implantação do pacto, que estipula bandeiras com relação à pandemia nos municípios do estado.

As fases são definidas por bandeiras: a vermelha é de emergência e as demais fases do planejamento são: alerta, simbolizada pela cor laranja; atenção, pela cor amarela, e cuidado na cor verde. Com essa mudança na situação de emergência, a prefeitura pode fazer alterações nas restrições impostas às atividades consideradas não essenciais para que voltem a funcionar.

Na quinta (9), a prefeitura da cidade divulgou o decreto que estabelece a reabertura do comércio após a reclassificação. Foi permitido o retorno com restrições de lojas de moveis, construção, salões de beleza, academias, quadras de esportes, espaços públicos, motéis, igrejas e outros espaços.

Porém, nem todos os espaços listados no decreto estão autorizados pelo Pacto Acre Sem Covid, criado pelo governo do Acre e que avalia os casos de Covid-19 nas cidades em fases. É o caso de igrejas e templos religiosos, que só podem passar a funcionar a partir da fase amarela; de academias, que estão autorizadas a reabrir na fase verde e com apenas 80% da capacidade e dos espaços púbicos, e quadras, também autorizadas a funcionar só na fase verde

Sobrepreço

O Tribunal de Contas do Acre (TCE) identificou um sobrepreço nas obras dos dois hospitais de campanha de Rio Branco e de Cruzeiro do Sul. O estado foi notificado e recebeu um prazo de 15 dias para que a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Desenvolvimento (Seinfra) explique a direção nos valores.

Na obra de Rio Branco, os levantamentos identificaram um sobrepreço de mais de R$ 400 mil e na obra de Cruzeiro do Sul R$ 100 mil. Ao G1, o secretário de Infraestrutura do Estado, Ítalo Medeiros, negou sobrepreço nas obras.

Responsável pelo processo no TCE, a conselheira Naluh Gouveia falou que foi identificada uma diferença no valor da obra de Rio Branco de mais de R$ 400 mil. Já na obra de Cruzeiro do Sul, a diferença é de mais de R$ 100 mil.

Colaborou o repórter Glédisson Albano, da Rede Amazônica Acre.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco