NOSSAS REDES

ACRE

Ex-aliado diz que “o maior problema do governo do Acre é Gladson Cameli”; veja vídeo

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O professor Lauro Fontes, que já foi um dos principais cabos eleitorais de Gladson Cameli na época da disputa ao senado, e no último pleito resolveu apoiar a candidatura do Coronel Ulysses Araújo ao governo do Acre, usou as suas redes sociais para se posicionar criticamente com relação às declarações de Cameli no programa “Fale com o Governador”, transmitido neste sábado, 23, pelo Sistema Público de Comunicação do Acre através das rádios AM e FM de Rio Branco e municípios como Brasileia, Xapuri, Sena Madureira, Feijó, Tarauacá e Cruzeiro do Sul.

“Porra, governador. Que porra é essa? O seu governo é imparcial? Ora, com licença, governador. Isso causa indignação. O senhor tem os cofres públicos nas mãos. O senhor tem um sistema de comunicação na mão. O senhor tem assessores e assessoras de imprensa na mão, pagos com nosso dinheiro. O senhor vem a público falar uma obscenidade dessa? Governador, o maior problema desse governo não é o Trio Malheiro, o maior problema do governo não é seu braço criminoso com os políticos que estão lhe assessorando. O maior problema desse governo chama-se Gladson Cameli. O senhor vem se tornando além do que venho falando de inapto, o senhor é incapaz, governador. Fazer um programa de rádio ao vivo? O governador do Estado tem prerrogativas. Tem um grupo de assessores de comunicação. Esse programa pode ser sim de forma programa como o próprio nome está dizendo. Pare de nos afrontar. O senhor vai completar 90 dias governo e a gente vê uma bagunça”, disse o educador ao divulgar vídeo nas redes sociais de poucos mais de 7 minutos de duração.

Fontes criticou ainda as nomeações feitas por Cameli acusadas de perseguir servidores e afirmou que o atual governo vem repetindo o Partido dos Trabalhadores. “Esses assessores que o senhor tem colocado nomeado dentro das repartições públicas, já que o senhor não sabe, tem um contador que o senhor nomeou lá na secretaria da fazenda que bate no peito e esturra que é o melhor contador do Brasil. Humilha as pessoas. O senhor não sabe? Dentro das secretarias, essas nomeações que o senhor coloca do PT e outras despreparadas e desqualificadas, no afã de ser o chefe, de ser o líder, que é uma tolice, que inventam na cabeça de certas pessoas, perseguem e humilham. O senhor esturra em todo canto que esse governo não vai perseguir. O que é isso, governador? Vá dentro das secretarias é pergunte. Converse. Coloque assessores especiais olhando o que acontece no seu governo, que o senhor vai ver que está repetindo o PT. E tá repetindo para pior”, enfatiza o professor destacando a nomeação de Hedislandes Gadelha, que após milhares de críticas nas redes sociais, o governo resolveu exonerá-lo. “Esse homem é um terrorista social. Vive nas mídias sociais atacando o senhor e a honra da sociedade acreana. Não venha com papo que o senhor exonerou. Exonerou nada. O senhor nomeou e isso ninguém tira mais”, pontuou.

Se colocando como crítico da gestão de Cameli, Lauro afirmou que não abrirá mão de criticar e enfatizou que não torce contra o governador. “Nós da oposição, nós da direita precisamos que o senhor dê certo, mas o senhor tá se esforçando para não fazer isso”. Ele destaca ainda que não tem interesse em cargos “por ter honra”.

Fontes disse ainda que muitas pessoas não tem coragem de fazer isso o que ele está fazendo por ter medo de Cameli e seus assessores e reitera que se preparou com mestrado e doutorado para enfrentar “essa gente” que Gladsson estaria “colocando dentro do Palácio Rio Branco”.

Gladson diz que seu governo está acima do sentimento rancoroso

Procurado para comentar o desabafo de Lauro Fontes, Cameli disse que seu governo está acima do sentimento rancoroso. “Liberdade de expressão não é falar o que quer, xingar sem o menor pudor ou gritar de forma oca, sem qualquer base. Meu governo está acima do sentimento rancoroso. O trabalho sério desmontará o discurso do quanto pior melhor”, disse o governador ao ac24horas.

Com relação ao formato do programa que estreou no último sábado (23), o governador disse que vai continuar encarando os problemas do Estado de frente, com a coragem de ir ao Rádio ou na TV, ao vivo, ouvir as reclamações e acertos de sua gestão e buscar as soluções para os principais problemas da população.

“Ao contrário dos líderes que passaram pelo Palácio Rio Branco eu não tenho medo de me comunicar com as pessoas, seja no Rádio, na TV, ao vivo mesmo, nas ruas, nos hospitais como fiz hoje, o poder não vai mudar meu jeito de ser. Estou acostumado com críticas, vou responder com muita vontade de colocar o Acre no rumo certo. E vai dar certo! ”, exclamou o governador.

Ele acrescentou que nunca disse ser dono da razão. “O mesmo cidadão que elege um governador, sabe fazer julgamento do que é fato, informação e o que está sendo distorcido. Não fui eleito para agir com a mesmice”, disse.

O professor Lauro Fontes, que já foi um dos principais cabos eleitorais de Gladson Cameli na época da disputa ao senado, e no último pleito resolveu apoiar a candidatura do Coronel Ulysses Araújo ao governo do Acre, usou as suas redes sociais para se posicionar criticamente com relação às declarações de Cameli no programa “Fale com o Governador”, transmitido neste sábado, 23, pelo Sistema Público de Comunicação do Acre através das rádios AM e FM de Rio Branco e municípios como Brasileia, Xapuri, Sena Madureira, Feijó, Tarauacá e Cruzeiro do Sul.

“Porra, governador. Que porra é essa? O seu governo é imparcial? Ora, com licença, governador. Isso causa indignação. O senhor tem os cofres públicos nas mãos. O senhor tem um sistema de comunicação na mão. O senhor tem assessores e assessoras de imprensa na mão, pagos com nosso dinheiro. O senhor vem a público falar uma obscenidade dessa? Governador, o maior problema desse governo não é o Trio Malheiro, o maior problema do governo não é seu braço criminoso com os políticos que estão lhe assessorando. O maior problema desse governo chama-se Gladson Cameli. O senhor vem se tornando além do que venho falando de inapto, o senhor é incapaz, governador. Fazer um programa de rádio ao vivo? O governador do Estado tem prerrogativas. Tem um grupo de assessores de comunicação. Esse programa pode ser sim de forma programa como o próprio nome está dizendo. Pare de nos afrontar. O senhor vai completar 90 dias governo e a gente vê uma bagunça”, disse o educador ao divulgar vídeo nas redes sociais de poucos mais de 7 minutos de duração.

Fontes criticou ainda as nomeações feitas por Cameli acusadas de perseguir servidores e afirmou que o atual governo vem repetindo o Partido dos Trabalhadores. “Esses assessores que o senhor tem colocado nomeado dentro das repartições públicas, já que o senhor não sabe, tem um contador que o senhor nomeou lá na secretaria da fazenda que bate no peito e esturra que é o melhor contador do Brasil. Humilha as pessoas. O senhor não sabe? Dentro das secretarias, essas nomeações que o senhor coloca do PT e outras despreparadas e desqualificadas, no afã de ser o chefe, de ser o líder, que é uma tolice, que inventam na cabeça de certas pessoas, perseguem e humilham. O senhor esturra em todo canto que esse governo não vai perseguir. O que é isso, governador? Vá dentro das secretarias é pergunte. Converse. Coloque assessores especiais olhando o que acontece no seu governo, que o senhor vai ver que está repetindo o PT. E tá repetindo para pior”, enfatiza o professor destacando a nomeação de Hedislandes Gadelha, que após milhares de críticas nas redes sociais, o governo resolveu exonerá-lo. “Esse homem é um terrorista social. Vive nas mídias sociais atacando o senhor e a honra da sociedade acreana. Não venha com papo que o senhor exonerou. Exonerou nada. O senhor nomeou e isso ninguém tira mais”, pontuou.

Se colocando como crítico da gestão de Cameli, Lauro afirmou que não abrirá mão de criticar e enfatizou que não torce contra o governador. “Nós da oposição, nós da direita precisamos que o senhor dê certo, mas o senhor tá se esforçando para não fazer isso”. Ele destaca ainda que não tem interesse em cargos “por ter honra”.

Fontes disse ainda que muitas pessoas não tem coragem de fazer isso o que ele está fazendo por ter medo de Cameli e seus assessores e reitera que se preparou com mestrado e doutorado para enfrentar “essa gente” que Gladsson estaria “colocando dentro do Palácio Rio Branco”.

Gladson diz que seu governo está acima do sentimento rancoroso

Procurado para comentar o desabafo de Lauro Fontes, Cameli disse que seu governo está acima do sentimento rancoroso. “Liberdade de expressão não é falar o que quer, xingar sem o menor pudor ou gritar de forma oca, sem qualquer base. Meu governo está acima do sentimento rancoroso. O trabalho sério desmontará o discurso do quanto pior melhor”, disse o governador ao ac24horas.

Com relação ao formato do programa que estreou no último sábado (23), o governador disse que vai continuar encarando os problemas do Estado de frente, com a coragem de ir ao Rádio ou na TV, ao vivo, ouvir as reclamações e acertos de sua gestão e buscar as soluções para os principais problemas da população.

“Ao contrário dos líderes que passaram pelo Palácio Rio Branco eu não tenho medo de me comunicar com as pessoas, seja no Rádio, na TV, ao vivo mesmo, nas ruas, nos hospitais como fiz hoje, o poder não vai mudar meu jeito de ser. Estou acostumado com críticas, vou responder com muita vontade de colocar o Acre no rumo certo. E vai dar certo! ”, exclamou o governador.

Ele acrescentou que nunca disse ser dono da razão. “O mesmo cidadão que elege um governador, sabe fazer julgamento do que é fato, informação e o que está sendo distorcido. Não fui eleito para agir com a mesmice”, disse.

Ainda de acordo o chefe do Palácio Rio Branco, muita gente não está acostumada com democracia e respeito. “Fui eleito com 223.993 mil votos para governar para mais de 800 mil pessoas, meu governo não tem cor partidária, a minha bandeira é verde e amarela, governo de todos”, garantiu o governador.

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco