NOSSAS REDES

BRASIL

Estudante morto durante a ditadura militar foi homenageado em sessão especial

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O Senado Federal homenageou em sessão especial, nesta quarta-feira passada (28/03), o estudante Edson Luís de Lima Souto, morto em 1968 durante o período militar. A data da sessão marca os 50 anos da morte do ícone estudantil. A homenagem está prevista para às 11h no Plenário da Casa.

Em março do quarto ano do regime militar, o falecimento do estudante, assassinado por um policial militar, causou comoção nacional, além de ter repercussão imediata no Senado. Edson Luís, de 18 anos, foi o primeiro “morto público” da ditadura.

Edson morreu durante ação da Polícia Militar (PM) no Restaurante Central dos Estudantes, conhecido como Restaurante Calabouço, no Rio de Janeiro. O local era conhecido por reunir estudantes engajados com a situação política do país e interessados em melhorias na educação pública.

Na tarde do dia 28 de março de 1968, estudantes organizavam um protesto, que foi reprimido pela Policia Militar, que invadiu o restaurante. Edson foi baleado à queima-roupa no coração e morreu na hora.

O pedido de realização da homenagem é dos senadores Lindbergh Farias (PT-RJ), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Lídice da Mata (PSB-BA), Regina Sousa (PT-PI), Paulo Paim (PT-RS) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). No requerimento, os parlamentares classificaram o acontecimento como uma “triste tragédia”. Segundo os senadores, o objetivo da sessão especial é “refletir sobre este evento, para que esta memória não se apague”. Por Agência Senado

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Brasileiros querem volta das aulas apenas após vacina da Covid-19

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Para 72% dos brasileiros das classes A, B e C, os estudantes só devem voltar a ter aulas presenciais depois que uma vacina para o novo coronavírus estiver disponível, segundo pesquisa Ibope divulgada pelo jornal “O Globo” nesta segunda-feira (7).

O levantamento foi feito entre os dias 21 e 31 de agosto, pela internet, com 2.626 pessoas com mais de 18 anos e das classes A, B e C. O nível de confiança é de 95% dentro da margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Continue lendo

BRASIL

Aborto Realizado: Médicos interrompem gravidez da menina de 10 anos que foi abusada pelo próprio tio

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

De acordo com o portal A Gazeta, a equipe médica do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros, para onde foi levada a menina de 10 anos que ficou grávida após ser abusada pelo tio, já terminou a primeira etapa do aborto.

O médico Olimpio Barbosa de Morais Filho foi o responsável pelo procedimento e segundo ele, a menina poderá voltar para o Espírito Santo nesta quarta-feira (19), mas ainda não foi confirmado oficialmente quando ela receberá alta hospitalar.

O aborto foi autorizado pela Justiça do Espírito Santo, com um procedimento onde é ministrada uma injeção com medicamentos que resulta no óbito do feto e isto já foi feito.

Na madrugada de hoje começou a segunda etapa do procedimento, que é retirar o feto já sem vida e isto será realizado através de medicamentos.

O processo é concluído quando for realizada a limpeza total do útero da menina, que primeiramente foi internada no Hospital das Clínicas, em Vitória, só que a equipe médica de lá não quis fazer o aborto, alegando que a legislação vigente não poderia ser aplicada neste caso devido a idade gestacional.

A princípio foi dito que a menina estava no terceiro mês de gestação, mas exames posteriores revelaram que era o quinto mês. A criança foi levada para um hospital em Recife, onde o aborto então foi realizado e está sendo concluído hoje.

Ainda de acordo com o portal A Gazeta, familiares se mostraram favoráveis à interrupção da gravidez da menina. Um grupo de religiosos chegou a ir até a entrada do hospital protestar contra o aborto na noite de ontem.

VIA: PortalR7notícias

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco