NOSSAS REDES

ACRE

EMBARCAÇÃO QUE EXPLODIU EM RIO NO INTERIOR DO AC TINHA AUTORIZAÇÃO PARA NAVEGAR, DIZ MARINHA

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A embarcação que explodiu na sexta-feira (7) dentro do Rio Juruá, em Cruzeiro do Sul, interior do Acre, tinha inscrição e autorização da Marinha do Brasil para navegar. O laudo que vai investigar o caso tem o prazo de 90 dias. Além da Marinha, a Polícia Civil também abriu inquérito para investigar o acidente.

A embarcação tinha 18,50 metros e foi destruída pelo fogo. A polícia vai investigar quantas pessoas estavam a bordo e se havia autorização para transporte de passageiros e mercadorias, incluindo combustível. O barco estava saindo de Cruzeiro do Sul com destino a Marechal Thaumaturgo.

Das 18 vítimas atingidas pela explosão, oito seguem em estado gravíssimo, uma foi liberada e as demais têm quadro de saúde estável. A informação foi dada ao G1 pelo diretor de Assistência à Saúde do Acre, Wilson Afonso, neste sábado (8).

Três vítimas foram transferidas para a capital acreana, Rio Branco. Entre elas, uma mulher grávida e um bebê de nove meses, que teve 90% do corpo queimado e passou por cirurgia. Mais uma criança chegou a Rio Branco ainda no sábado.

As demais vítimas estão internadas no Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul. A mãe do bebê também está em estado gravíssimo e não tem condições de ser transferida para a capital. A criança está sob a responsabilidade de uma tia, de acordo com Afonso.

O diretor clínico do Hospital do Juruá, Marlon Holanda, explicou que as transferências dos pacientes foram necessárias por causa do tratamento especializado que eles podem receber em Rio Branco.

“O motivo da transferência é por um suporte mais especializado e pela questão da Unidade de Tratamento Intensivo pediátrica, que aqui não tem, e também de cirurgião plástico que é necessário no caso”, explica o médico.

Os nomes das vítimas não foram divulgados. Holanda afirmou que os pacientes tiveram queimaduras de 70% a 90% da superfície corporal queimada. “Alguns foram entubadas em estado gravíssimo, outros foram transferidas para Rio Branco e os outros pacientes estão em estado grave”, disse.

O comandante do Corpo de Bombeiros da cidade, capitão José Dutra de Oliveira, informou que, no momento da explosão, o barco estava abastecendo.

“Um barco que ia para Marechal Thaumaturgo [cidade do interior], de um senhor conhecido por Moreno, estava abastecendo às margens do rio, ao lado do [bairro] Miritizal, direto de um caminhão pipa, que também não sei de onde é. Aparentemente, era um abastecimento clandestino, e o barco explodiu com o pessoal que estava dentro”, contou.

Investigação

A Marinha e a Polícia Civil do Acre vão investigar as causas da explosão. O delegado Lindomar Ventura, responsável pelo caso, afirmou que deve iniciar as oitivas das pessoas envolvidas e testemunhas na segunda (10). Peritos da Polícia Civil estiveram no local do acidente para iniciar a investigação.

A Marinha informou que, assim que tomou conhecimento da explosão, enviou uma equipe de busca e salvamento e de inspeção naval da Agência Fluvial de Cruzeiro do Sul, junto com uma equipe do Corpo de Bombeiros do Amazonas.

“Todas as pessoas foram resgatadas com vida, e os feridos foram encaminhados ao hospital da cidade. Um inquérito será instaurado para apurar as causas, circunstâncias e responsabilidades pelo acidente”, afirmou a Marinha em nota.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco