NOSSAS REDES

Rio Branco

Em Rio Branco, Restaurante Popular completa 10 anos de atividade

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Equipamento integra política de segurança alimentar que alcança trabalhadores, idosos e crianças.

Moradora do bairro Aeroporto Velho, Socorro Miranda é mãe de dois filhos. Aos 71 anos, esbanjando saúde, lucidez, e em plena atividade profissional, Socorro é frequentadora assídua do Restaurante Popular de Rio Branco. “Moro com meus dois filhos, mas como trabalho aqui perto, prefiro vir almoçar aqui, onde o almoço é muito bom e barato. Eu almoço e já volto por trabalho”.
O Restaurante Popular José Marques de Souza (Matias) integra a Rede de Segurança Alimentar e Nutricional implantada pelo município de Rio Branco há 10 anos, resultado da parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social. O principal objetivo é garantir o direito a uma refeição de qualidade ao preço de R$ 2,50 (Dois Reais e cinquenta centavos).
A alimentação balanceada inclui arroz, feijão, carnes, guarnição, salada, sobremesa e suco, numa combinação de 1800 calorias por prato. Grande parte dos produtos é adquirida de produtores locais e hortas comunitárias. “Ao longo desses dez anos, sempre tivemos o cuidado de elaborar um cardápio que atenda a necessidade nutricional de nossos clientes, elaborar um alimentação saudável e saborosa, e o que é melhor, a um preço bem acessível ”, informa a nutricionista Cláudia Sena.
Os frequentadores mais assíduos do Restaurante Popular são idosos, trabalhadores “Aqui vem pessoas de toda a cidade. Principalmente idosos, pessoas com quadro de desnutrição “, informa a secretária de municipal de Assistência Social, Dôra Araújo ao destacar que a unidade é aberta a todos, atendendo todas as classes sociais.
Na avaliação do empresário Janildo Moura, “o Restaurante Popular è muito bom para a população e deveria se estender a todos os demais bairros”, diz o empresário, apreciador de feijoada que, sempre que pode, almoça no Restaurante Popular.
Subsídio
Parte de uma política de segurança alimentar que, além do Restaurante Popular, integra o Banco de Alimentos, hortas comunitárias e todo um conjunto de ações da coordenadoria Municipal do Trabalho e Ação Solidária (COMTES), o equipamento é mantido com recursos próprios da Prefeitura. “O custo total da alimentação, com sete preparações, é de R$ 11,40 (Onze Reais e quarenta centavos). A Prefeitura subsidia R$ 8,90 (Oito Reais e noventa centavos. O usuário arca com o valor simbólico de R$ 2,50 (Dois reais e cinquenta centavos).
“A implantação e manutenção do equipamento é resultado de uma grande esforço da gestão. Mas o investimento vale o benefício de ter famílias melhor alimentadas, crianças bem nutridas – muitos almoçam aqui e têm alimentação reforçada na escola- e menos pessoas nas unidades de saúde”, destaca a Prefeita Socorro Neri, ao se referir ao impacto da ação no resultado das políticas sociais do Município.
Espaço para aprendizagem
Na data em que o município comemora 10 anos de inauguração o Restaurante Popular foi o espaço escolhido para divulgação dos trabalho produzidos pelos alunos do curso de Nutrição da Universidade Federal do Acre. Por meio da parceria com a instituição de ensino superior, o equipamento funciona como laboratório para realização de pesquisas e estágio. “Nessa oportunidade trazemos aqui o resultado estudo sobre o trabalho e biografia do nutrólogo José de Castro que estuda a questão da fome, e tem relação com a política de segurança alimentar que trata o Restaurante Popular. A gente conta muito com esse local como um espaço para vivências e práticas”, explica a professora do curso de Nutrição da UFAC, Eline Messias.
“A gente descobriu a importância de uma unidade como essa para adquirir conhecimento para nossa formação profissional, conhecer melhor a proposta nutricional para usuários de uma unidade como essa, por exemplo”, destaca a estudante do 4º período de Nutrição da UFAC, Isadora Batista, uma das alunas que também acompanha o estudo da situação nutricional dos clientes do Restaurante Popular.
Reforma
Inaugurado durante a gestão do ex-prefeito Raimundo Angelim, o Restaurante Popular foi reformado na gestão do então prefeito, Marcus Alexandre. A reforma promoveu intervenções importantes que resultaram num ambiente maior, mais confortável e iluminado.
O Restaurante Popular Funciona de segunda a sexta-feira, exceto feriados, no horário das 10h30 às 14h. Por Assessoria. Fotos Assis Lima/DECOM

ACRE

Incêndio destrói casa após criança de 3 anos brincar com isqueiro no Acre

G1AC, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Uma casa de madeira da Vila Custódio Freire, em Rio Branco, foi consumida pelo fogo após uma criança de três anos brincar com um isqueiro dentro do quarto. O incêndio ocorreu nesta terça-feira (8) e ninguém ficou ferido.

O Corpo de Bombeiros do Acre informou que ao chegar ao local encontrou três crianças de 3, 5 e 11 anos sozinhas na casa. Os vizinhos acionaram os bombeiros.

A criança mais velha, de 11 anos, falou para os bombeiros que estava na cozinha quando o irmão caçula brincava com um isqueiro no quarto e começou o fogo. Ao perceber as chamas, a criança retirou os irmãos mais novos e pediu socorro.

A mãe das crianças estava trabalhando e foi para o local após ser avisada do incêndio.

“O combate durou cerca de 30 minutos Fomos acionados por volta das 10 horas. Era uma residência de madeira medindo cerca de dez por cinco metros”, destacou a cadete Laiza Mendonça.

Continue lendo

CRIME

No AC, pai suspeito de matar filho de 6 anos com corte no pescoço tem pedido de soltura negado pela justiça

Editorial do Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Prisão foi mantida pela juíza da 1ª Vara do Júri, Luana Campos, nessa quinta-feira (3).

Capa: Pai teria matado o filho na madrugada do dia 13 de agosto e voltou a dormir — Foto: Lidson Almeida/Rede Amazônica Acre.

O pai suspeito de matar o filho de 6 anos com um corte no pescoço teve a prisão preventiva mantida pela juíza da 1ª Vara do Júri, Luana Campos, nessa quinta-feira (3). Ele foi preso em flagrante no dia 13 de agosto após o crime, no bairro Bahia Nova, na capital acreana.

A informação foi confirmada pelo Tribunal de Justiça, mas a juíza informou que não vai comentar o caso.

O crime ocorreu durante a madrugada, mas a mãe só percebeu que o filho estava morto pela manhã quando foi no quarto das crianças. Após ser preso em flagrante, o pai encaminhado para o presídio de Rio Branco no dia 14, após a juíza Andrea Brito, da Vara de Execução Penal e Medidas Alternativas, decretar a prisão dele.

Após ser descoberto, o homem tentou fugir mas foi contido, preso e levado para a Delegacia de Flagrantes por policiais civis da 1ª Regional da capital. O suspeito chegou rindo à delegacia.

Além do menino de 6 anos, o outro filho do casal, um bebê de 5 meses, dormia no berço ao lado do irmão.

Em depoimento, o servente de pedreiro falou que teve um surto pela abstinência de drogas, foi na cozinha pegar uma faca e seguiu para o quarto dos filhos.

Após degolar o filho mais velho, o suspeito voltou para a cama, deitou ao lado da mulher e dormiu até de manhã. As informações foram repassadas ao G1 pelo delegado responsável pelo caso, Frederico Tostes.

Sem arrependimentos

Além do suspeito, a polícia ouviu também a mãe das crianças e um pastor, para quem o suspeito estava trabalhando. No depoimento, o homem não demonstrou arrependimento, segundo a polícia.

“Falou que há três semanas deixou de usar drogas, na abstinência teve uma perturbação mental e fez isso. Não ficou muito claro no depoimento, não falou muito. Disse que de madrugada pegou a faca e cortou o pescoço da criança. Perguntei se ele se arrependeu e disse: ‘não é tão simples assim’. Não quis falar que estava arrependido. Sem arrependimentos”, explicou o delegado.

O suspeito teria ainda ligado para um pastor, mas não falou nada e desligou o telefone.

“Ele deitou para dormir, levantou de manhã como se nada tivesse acontecido. Ele estava indo para a igreja para sair do vício, fazendo um trabalho voluntário”, complementou Tostes.

Além do suspeito, a polícia também ouviu a mãe das crianças e o pastor como testemunhas. A mulher afirmou que o marido sempre foi cuidadoso com os filhos e nunca agrediu eles.

“Ela falou bem dele, disse que sempre foi uma pessoa boa, nunca agrediu, na hora de educar não agredia. Ela estava dormindo, não ouviu nada. Acordou de manhã com ele abrindo a porta e quando estava saindo viu a criança morta e gritou”, lamentou o delegado.

A Polícia Civil informou também que o suspeito vai ser indiciado por homicídio qualificado por motivo torpe. Por G1AC. 

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco