NOSSAS REDES

ACRE

Coronel que trabalha na Sesacre é acusado de agir com truculência e de forma agressiva contra servidores do Huerb

Folha do Acre, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac) divulgou nota onde repudia suposta truculência e desrespeito praticado pelo secretário-adjunto da Secretária de Saúde do Acre (Sesacre), coronel Jorge Fernando Rezende, contratado recentemente pela secretária de Saúde, Mônica Feres.

A nota afirma que Jorge foi até o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb) e determinou que uma paciente furasse a fila de espera e fosse internada na frente de outras pessoas que aguardavam atendimento.

“Na noite de ontem (22), o secretário se dirigiu ao HUERB, e na sala de observação adulto, determinou a transferia uma paciente para a CLINICA MÉDICA FEMININA – CMF, mesmo tendo outros espera e maus tempo, não sendo possível, em razão da grande demanda que estava a frente de sua paciente e pela falta de colchão para o único leito disponível, no entanto, sem respeitar os fluxos, de forma muito agressiva, e arrogante, gritou com a equipe plantonista da CMF, e do setor de regulação, equipes femininas, imputando as mesmas toda imperiosidade do cargo, insinuações e humilhações, por fatos alheios a responssbilidade das equipes”, diz trecho da nota.

Confira na nota:

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre – SINTESAC, vem a público registrar o seu absoluto repúdio a conduta truculenta, agressiva, a ética e desrespeitosa do Secretário Adjunto de Estado da SESACRE, coronel Jorge Fernando Rezende, junto a equipe plantonista do Hospital de Urgência e Emergencia – HUERB.

Na noite de ontem (22), o secretário se dirigiu ao HUERB, e na sala de observação adulto, determinou a transferia uma paciente para a CLINICA MÉDICA FEMININA – CMF, mesmo tendo outros espera e maus tempo, não sendo possível, em razão da grande demanda que estava a frente de sua paciente e pela falta de colchão para o único leito disponível, no entanto, sem respeitar os fluxos, de forma muito agressiva, e arrogante, gritou com a equipe plantonista da CMF, e do setor de regulação, equipes femininas, imputando as mesmas toda imperiosidade do cargo, insinuações e humilhações, por fatos alheios a responssbilidade das equipes.

Diante dos fatos, registramos a nossa solidariedade e apoio as mães de família que estavam de plantão, ao tempo em que lamentamos e repudiamos veemente a postura ignóbil, arcaica, truculenta, desrespeitosa e desproporcional, de um gestor público, alheio a nossa realidade, e bem longe de assimilar, os principios básicos que norteiam a gestão pública, o respeito, a ética, a impessoalidade e a moralidade.

Jamais deixaremos que nossos colegas, sejam ainda mais, desrespeitados, agredidos, ameaçados ou responsabilizados pelas mazelas de um sistema, aonde nós, somos apesar de todo o esforço, sobrecarga, e empenho, apenas mais vítimas de um sistema falho, e recheado gestores com postura desarrazoada e incompatível com os ideais de crescimento.

Comunicaremos os fatos ao parlamento acriano, aos conselhos de classe, disporemos do nosso corpo jurídico a equipe agredida, e esperamos que o governador reflitar sobre suas escolhas.

Jean Marcos Lunier
Presidente em Exercício

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco