NOSSAS REDES

ACRE

Coronavírus: Ufac decide fechar os portões aos finais de semana para evitar aglomerações

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

UFAC suspendeu atividades acadêmicas por 15 dias e orienta trabalho remoto (‘home office’) a técnico-administrativos.

Um dos pontos mais procurados pelos acreanos aos finais de semana também foi fechado. A Universidade Federal do Acre (Ufac) anunciou, em comunicado oficial, na tarde desta sexta-feira, 20, que devido ao surto do novo Coronavírus (Covid-19) irá fechar as portas aos finais de semana para evitar aglomerações no Campus.

O local geralmente é usado aos finais de semana para fotos de chá de bebês, formaturas, e também para prática de esportes.

Em Nota, a Prefeitura do Campus (Prefcam) afirmou que a medida vale a partir deste sábado, 21, e seguirá enquanto durar a suspensão das atividades acadêmicas e administrativas, conforme comunicado da Reitoria, considerando a pandemia da covid-19.

“A medida tem por objetivo proteger a população que intensifica a utilização do campus-sede como espaço de lazer sobretudo nos fins de semana, evitando possíveis contágios ocasionados pelo coronavírus. Será autorizada a entrada somente nos casos de serviço de limpeza e conservação predial, manutenção predial, execução de obra e servidores da Ufac de sobreaviso”, informou em Nota. Por Ac24horas.

Comitê da Ufac elabora protocolo de contingência para coronavírus.

O Comitê de Prevenção e Contenção do coronavírus (covid-19) no âmbito da Ufac reuniu-se na noite dessa segunda-feira, 16, para elaborar um protocolo com medidas práticas recomendadas à comunidade acadêmica que envolvem mudança de hábitos no dia a dia da instituição. O objetivo é evitar a propagação da doença no Estado. 

O protocolo foi elaborado por médicos e professores do curso de Medicina; abrange as três fases epidemiológicas de contágio e segue recomendações do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação. O comitê é formado por profissionais da saúde e pró-reitores da Ufac e foi criado na última sexta-feira, 13, por decreto da Reitoria.

Segundo a reitora Guida Aquino a intenção é “achatar a curva” de infectados, evitando um pico que leve muitos doentes ao sistema de saúde público do Acre. “Essa é uma medida preventiva que visa ao cuidado com toda a comunidade acadêmica, nossos estudantes, professores, servidores técnico-administrativos e terceirizados”, disse. “Mesmo estando em uma fase epidemiológica sem casos confirmados, estamos nos antecipando para que possamos superar esse surto de forma tranquila, sem estressar o sistema de saúde.”

Entre as recomendações do protocolo estão medidas práticas que sugerem afastamento social, como banir o aperto de mão e abraços, sugerindo trocar por outro cumprimento e medidas de “etiqueta respiratória” com regras ao tossir e espirrar. Lavar as mãos com água e sabão ou álcool em gel também é recomendado.

Reitoria da Ufac publicou comunicado pelo qual divulga suspenção das atividades acadêmicas por 15 dias e orienta trabalho remoto (“home office”) a técnico-administrativos; o protocolo de contingência segundo as fases epidemiológicas também consta no comunicado.

Participaram da elaboração do protocolo o presidente do comitê, Fernando de Assis; o coordenador do curso de Medicina da Ufac, Mario Jorge Ferreira da Silva; o professor do curso de Medicina, Odilson Silvestre; e o médico da instituição e também professor do curso de Medicina, José Luna. Por UFAC.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco