NOSSAS REDES

ACRE

Cameli e Defensoria querem trazer corpo de menino esquartejado pela mãe para o Acre

Assessoria, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

O Governo do Estado do Acre, por meio do aporte financeiro, e a Defensoria Pública do Estado, por meio de ação judicial, que será ajuizada nesta segunda-feira, 03, com apoio da Defensoria Pública do Distrito Federal, com pedido de liminar junto a Vara de Registros Públicos do DF, tentam conseguir autorização para transportar os restos mortais do menor R. M. S. C., de 9 anos de idade, assassinado e esquartejado pela mãe Rosana Auri da Silva Candido.

Rosana está presa na cidade de Samambaia, juntamente com sua companheira, Kacyla Priscyla Santiago Damasceno Pessoa, que de acordo com a Polícia do Distrito Federal, a auxiliou durante o crime.

O governador do Estado do Acre, Gladson Cameli, e a primeira-dama do estado, Ana Paula Cameli, disseram neste domingo, 2, que o Acre, ao mesmo tempo em que se encontra perplexo, se solidariza com a família do menor, ressaltando eles que o Governo do Estado não medirá esforços para auxiliar os familiares no traslado do menor R. M. S. C. para o Acre.

O coordenador do núcleo da Cidadania da Defensoria Pública do Acre, Defensor Celso Araújo Rodrigues, é o responsável pelo contato direto com o Defensor Público do DF, Nicolau Rolim Jorge, que ingressará com o pedido de liminar nessa segunda-feira, 3. Eles aguardam a conclusão de um laudo de antropologia forense, exigido em casos de mortes violentas.

Como nesses casos a perícia é mais detalhada, a liberação dos restos mortais pode levar até uma semana. No entanto, Celso Araújo afirma que a Defensoria Pública do Estado do Acre e a do DF buscarão agilidade no processo para que a liberação ocorra o mais urgentemente possível.

O defensor Nicolau Rolim explicou, ainda, que somente após a conclusão do laudo de antropologia forense será possível obter a certidão de óbito e a guia de sepultamento exigidas para o enterro do menor.

O defensor acreano disse também que o Conselho Tutelar da cidade de Samambaia está em contato direto com a Defensoria Pública do Acre e com a família paterna do menor assassinado.

“Estamos desde ontem acompanhando este caso, com todo apoio do Governo do Estado, através da Casa Civil, que irá custear as despesas para o traslado dos restos mortais da criança, pois o nosso objetivo é agilizar o ingresso da liminar para que a família possa prestar as últimas homenagens à vítima”, frisou.

Durante toda manhã deste domingo a Defensoria do Acre esteve em contato com os familiares da criança e juntou os documentos necessários para dar prosseguimento às ações jurídicas de sua competência, inclusive a comprovação da guarda da criança por parte do pai.

A secretária de Estado de Assistência Social dos Direitos Humanos e Política para Mulheres, Claire Cameli, visitou a família paterna da criança na tarde deste domingo para oferecer apoio e fazer o acompanhamento necessário à família da criança por parte do Governo do Estado do Acre.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco