NOSSAS REDES

ACRE

Baixada da Sobral pede polícia na rua contra criminosos que agem a poucos metros do Batalhão da PM

Acjornal, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A violência desenfreada não dá trégua no Acre. Moradores da Baixada da Sobral denunciam que estão sendo assaltados diariamente por criminosos que atuam no entorno do Terminal de Integração de Passageiros, localizado a menos de 300 metros do 3º Batalhão da Polícia Militar.

A região da baixada da sobral compreende um aglomerado de dezenove bairros e uma população de mais de 80 mil moradores, com alto índice de criminalidade e, portanto, necessita de muita atenção das forças policiais.

Dona Maria Eugênia diz que precisa estar no terminal às 05h. Ela toma o primeiro ônibus em direção ao mercado municipal Elias Mansour. “Venho cedinho, mas só Deus sabe o quanto tenho medo de ser assaltada de novo. Já me levaram meus pertences por três vezes. Nem trago mais o celular, nem a minha carteira”, relata a moradora do bairro Plácido de Castro.

Manoel Fernandes utiliza o terminal diariamente. Para ele o que mais causa indignação é ver um batalhão da PM tão próximo ao local sem movimentação de policiais por ali. “Parece que ficam dormindo, ou estão lá só para viver aquartelado, enquanto nós aqui fora sem segurança e convivendo com o medo”, desabafa o mesmo.

As famílias pedem ações preventivas e rondas nos horários mais movimentados. Além do Terminal de integração, o Centro de abastecimento fica no mesmo complexo.

Ainda na transição do governo Tião Viana, Gladson Cameli anunciou que estaria deixando toda estrutura de poder no tocante da segurança pública sob o comando do vice Major Rocha. Gladson afirmou que o seu vice era a pessoa ideal para devolver a paz e bem estar do povo, até pela experiência de ser um militar.

Quem não se lembra das declarações do comandante da Polícia Militar, Coronel Paulo Cesar, que chegou a prometer uma sensação de paz em dez dias de governo?

Esta paz até agora não foi sentida pelos cidadãos que amargam um clima de guerra e insegurança. Mais que colocar as viaturas e armamentos, faltam ações de inteligência no combate ao crime, que se organiza cada vez mais.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco