NOSSAS REDES

ACRE

Artigo: A Maçonaria não escolhe candidatos

Avatar

PUBLICADO

em

Por séculos a Maçonaria é lembrada como instituição que sempre esteve presente em todas as transformações positivas em prol da humanidade. Foi assim durante a Revolução Francesa, na Independência em diversos Países, no fim da escravidão no Brasil, na formação da República e na também na democracia brasileira. 

Essa mesma instituição não se coaduna com partido “A” ou “B” e não se intimida. 

O motivo da explanação é para afirmar que não são verdadeiras qualquer menção de apoio institucional a qualquer candidato nas eleições gerais de 2018. 
A Ordem busca os mesmos ideais de todo brasileiro honesto: o fim da corrupção, transparência no serviço público e a garantia de melhoria da qualidade da educação, da saúde, dos serviços de infraestrutura e segurança pública.

A Maçonaria não pode apoiar qualquer candidato, pois a instituição é composta por homens livres, que devem buscar na honestidade, na Justiça e na esperança realizar atos de beneficência, com o objetivo de fazer feliz a humanidade e buscar o progresso.

Qualquer pessoa que se auto identifique como líder-membro da Maçonaria e que peça voto para candidato estará infringindo os preceitos da instituição, que defende o respeito a liberdade de crença, credo religioso, e o combate ao preconceitos, assim como posições ideológicas. 
Tentar impor as próprias ideias a outros é um ato antidemocrático e uma ofensa grave a todos os irmãos que possuem liberdade e autonomia de pensar por conta própria.

A Maçonaria mantém e sempre manteve um bom relacionamento com governos, igrejas e instituições filosóficas, inclusive desenvolvendo ações beneficentes e filantrópicas em conjunto, e que por ser a Maçonaria uma instituição formada por homens livres e de bons costumes, acreditamos que os candidatos, maçons regulares, independentemente de partido, poderão ajudar nosso Estado e País a resgatar a conduta moral que deve existir nos nossos parlamentares e gestores!

Como cidadão, cada eleitor é responsável pelo próprio voto e por isso cada pessoa deve votar no candidato de sua escolha, conforme a própria consciência, e a GLEAC propugna a que cada maçom acreano se disponha a desenvolver essa nova consciência nacional em que a CMSB – Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil, traz como mote de campanha para este ano o VOTO CONSCIENTE. 
Só assim, de fato, o voto se transformará na grande arma de construção de uma Pátria livre, igual e fraterna. 

Fernando Alvares Zamora*
Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica do Estado do Acre – GLEAC

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco