NOSSAS REDES

ACRE

Após 2 meses dos primeiros casos de Covid-19, Saúde vai agilizar fila de exames com mais um laboratório

G1, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Lacen vai passar a ser usado para agilizar resultados de exames de Covid-19, que já são feitos pelo Laboratório Charles Merieux.

Há dois meses o Acre iniciou oficialmente a luta contra Covid-19, impôs regras, fechou estabelecimentos e tenta conter o avanço da doença entre os moradores. No dia 17 de março, a Secretaria de Saúde do estado (Sesacre) confirmou os três primeiros casos do novo coronavírus.

Dois meses depois, o estado tem um hospital de campanha ainda em obras, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Segundo Distrito de Rio Branco, referência nos casos de Covid-19, não tem mais leitos para atender os pacientes e o estado também sofre com a falta de voos para chegada de equipamentos e insumos.

Nesta segunda-feira (18), o secretário de Saúde, Alysson Bestene, falou, durante entrevista para a Rede Amazônica Acre, dos desafios enfrentados nesses dois meses e o do esforço da pasta para garantir o atendimento para todos os pacientes infectados.

“Temos, depois de dois meses, só dois municípios onde os casos não chegaram. Está sendo uma batalha árdua, diária e onde temos que nos reinventar todos os dias, na aquisição de materiais, na contratação de novos profissionais porque nos preocupamos com os que estão na linha de frente e acabam se contaminando. Essa doença atinge o sistema de saúde em sua essência, que é o quantitativo de leitos, os profissionais uma vez contaminados têm que ser afastados, então, a secretaria tem esses desafios diários”, destacou.

O boletim parcial da Sesacre desta segunda mostra que o estado tem 2.234 infectados. A pasta confirmou também mais cindo mortes por Covid-19 e o total de óbitos subiu para 67.

Lacen

A logística é um dos problemas enfrentados pelas equipes de saúde do estado. Semana passada, o Laboratório Charles Merieux ficou sem reagentes devido um problema na alfândega, que manteve o material no Aeroporto Viracopos (SP) e os boletins dos casos foram divulgados apenas com resultados de testes rápidos.

O material chegou na sexta (15) à noite e os exames passaram a ser feitos no sábado (16). Para agilizar e zerar a fila de exames após a falta de reagentes, a Sesacre vai passar a contar com o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), em Rio Branco. O laboratório deve fazer 48 exames por dia.

“Já chegamos a anunciar que o Lacen seria esse laboratório de suporte para realizar esses exames. Em média, de 48 exames por dia. Ele tinha um problema na máquina que faz o PCTR, os técnicos foram capacitados para realizar, chegamos em um patamar pronto para realizar esses exames e acreditamos que essa semana também vão realizar 48 exames de PCTR.

O secretário confirmou que o estado dispõe de apenas um voo para trazer todo os insumos e equipamentos. A Saúde depende do material para fazer os testes e divulgar os resultados diariamente.

“Um dos desafios é essa questão de logística para o Acre. Hoje só temos um voo e, geralmente, esses insumos têm toda uma logística semanal e isso tem dificultado a chegar em período exato e acaba atrasando os testes. Isso aconteceu agora com os reagentes para o Laboratório Merieux, estavam na Bahia e tiveram dificuldades de chegar para o Acre, mas chegaram os testes retomaram”, ressaltou.

Depois de quase 30 dias, hospital de campanha para Covid-19 ainda não foi entregue no Acre — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Depois de quase 30 dias, hospital de campanha para Covid-19 ainda não foi entregue no Acre — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Hospital de campanha

Outra dificuldade que o governo enfrenta é para concluir o primeiro hospital de campanha do Acre, que é construído anexo ao Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into). As obras da primeira parte do hospital de campanha iniciaram no final de março.

A entrega dessa primeira parte foi adiada três vezes e, finalmente, passou a receber os primeiros no último dia 7.

Bestene afirmou que visitou as obras do hospital de campanha no domingo (17) com o governador Gladson Cameli e a previsão é de que o hospital esteja 100% no dia 10 de junho.

“Observamos que estamos com praticamente 50% da obra já em andamento. Está indo bem rápida, acreditamos que até o dia 10 de junho vamos ter ela 100% e entrar com os equipamentos necessários e dar andamento nos atendimentos não só da capital, mas de todo estado. Assim como em Cruzeiro do Sul, onde o hospital de campanha é realizado no próprio Hospital do Juruá. Essa obra é fixa e vai aumentar a capacidade de leitos lá para 100 leitos, com 10 leitos de UTI e 90 para enfermaria”, frisou.

Advertisement
Comentários

Comente aqui

ACRE

Balneários de Brasiléia são fechados por falta de segurança

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

Os balneários Kumarurana e Jarinal, localizados na zona rural do município de Brasiléia, foram fechados no último fim de semana, pelo 5º Batalhão do Corpo de Bombeiros, sediado naquele município, por não estarem cumprindo as normas de segurança.

Bastante frequentados pela população da região da fronteira e de outros municípios do estado, os espaços de lazer foram notificados a reabrir somente depois que se adequarem às exigências legais, principalmente contratando o serviço de salva-vidas.

“O local oferece esses banhos e cobram entrada das pessoas. Os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia tem esses profissionais devidamente treinados e qualificados que deveriam estar oferecendo segurança aos banhistas”, explicou o sargento Vivian.

A ida do Corpo de Bombeiros aos balneários, com o apoio da Polícia Militar, se deu após denúncia de irregularidades. Nos locais, foi confirmada a falta do Atestado de Funcionamento e os banhistas tiveram que deixar a água por medida de segurança.

Em um dos casos, os militares foram desacatados por um frequentador em visível estado de embriaguez. O homem recebeu voz de prisão foi detido por desacato, sendo levado à delegacia onde foi ouvido e liberado.

Os estabelecimentos poderão responder jurídica e administrativamente caso reabram sem tomar as medidas de segurança exigidas para o seu funcionamento. Entre as possíveis sanções estão multa e perda do alvará de funcionamento.

Com colaboração e fotos do jornalista Alexandre Lima.

Continue lendo

ACRE

Taxa de ocupação em leitos de UTI para a Covid-19 é de 30% no Acre

Ac24horas, via Acre.com.br - Da Amazônia para o Mundo!

PUBLICADO

em

A taxa geral de ocupação de leitos de Unidade Tratamento Intensivo (UTI) exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Acre está em torno de 30% nesta segunda-feira (14).

Os dados são do Boletim de Assistência ao Enfrentamento da Covid-19, emitido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). O boletim mostra a ocupação de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), por especialidade do leito e por regional.

Segundo dados oficiais, das 126 internações em leitos do SUS, 80 testaram positivo para Covid-19, ou seja, a maioria das pessoas que buscam atendimento médico foram infectadas pelo vírus.

Na região do Baixo Acre, que engloba as cidades de Rio Branco, Sena Madureira, Plácido de Castro e Acrelândia, das 70 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI), 27 estão ocupadas registrando uma taxa de ocupação de 38,6%.

A menor taxa de ocupação está na região do Juruá, que engloba Cruzeiro do Sul, Tarauacá e Marechal Thaumaturgo, dos 20 leitos de UTI existentes, nenhum está ocupado, registrando 0% de ocupação. Os leitos clínicos somam 95 e 23 estão ocupados, registrando 24,2% de ocupação.

Já regional do Alto Acre, que engloba as cidades de Brasileia e Epitaciolândia, não há registro de uma ocupação de leitos de enfermaria num total de 19 leitos disponíveis. A regional do Alto Acre é a única que não tem leitos de UTI para a Covid-19.

Continue lendo

TOP MAIS LIDAS

    Feedback
    WhatsApp Fale conosco